Páginas

terça-feira, 17 de julho de 2018

Uma questão de orientação

Ela desabafava com a minha mãe. Dizia que esteve para se separar quando ele, o marido, ficou cego. Não era o problema de ficar deprimido ou até inútil, nas suas palavras, mas sim o facto de aproveitar a sua deficiência para ‘ me apalpar por tudo e por nada. Parecia que as minhas mamas eram uma bússola. Ia ficando doida’. Continuam casados. Imagino que ele tenha desistido de se orientar.

Sem comentários:

Publicar um comentário