Páginas

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ovos mexidos à lá mano


Quando estou sozinha, nunca cozinho para mim mesma. O gosto que tenho em cozinhar para outrem, desaparece por completo quando sou a única à mesa. Por isso, os iogurtes, os cereais, a fruta são aquelas comidas que acedo com facilidade e, no sofá, delicio-me com uma tigela e um episódio de uma série qualquer. Mas desde que o meu irmão está a morar comigo que me ensinou uns petiscos que de tão fáceis e de tão bons eu faço-os na hora de comer sozinha. Hoje foi dia de ovos mexidos à lá mano (inventei o nome, pois claro). Uns ovos mexidos capazes de levantar um morto, ou no limite, matar de satisfação. Para uma pessoa basta uma mini cebola, dois ovos, meio tomate e salsa q.b. E é facílimo. Numa frigideira com bom azeite deita-se a cebola picada, o tomate em cubos, a salsa e uma pitada de sal. Deixa-se ficar até a cebola ficar translúcida. Nessa altura manda-se com os ovos mal batidos para cima. Mexe-se e se gostarem deles mais secos deixam-nos secar, se não gostarem, tirem-nos antes. Uma torradinha e voilá, simples e muito gostoso. Pode ser o início de um bom serão. Se acompanhada com um bom vinho (por acaso não quis abrir nenhuma garrafa) conseguimos, por segundos, esquecer o raio de políticos que temos, as políticas desastrosas, o livro que lemos e que não valeu nada, os amigos que deram à sola, os pais ausentes, o raio da hortelã que não cresce e as ervas daninhas que estão viçosas, o trabalho que já não encanta e as promessas a voarem… Esquecemos mesmo. Basta estes ovos mexidos e a filha a metros de mim a dormir um sono descansado.
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário