Páginas

segunda-feira, 14 de julho de 2014

são opções e temos de as aguentar

Agora tenho de tirar a chucha à minha filha. Começa a ficar com a boca deformada, tem muitas vezes aftas e o médico diz que chegou a altura. Não faço ideia como fazê-lo, ela que é chuchodependente.  Sexta falava com a Catarina, a mãe da amiguinha da minha filha, como é que ela conseguiu. Achei o método infalível ‘ deitei-me ao pé dela e disse: preferes dormir com a mamã ou com a chucha?’ e a amiguinha da minha filha preferiu dormir com a mãe. Ao terceiro dia já não falava na chucha e a mãe pôde voltar ao seu leito.

Assim, no sábado, deitei-me com a minha filha que, quando em viu na cama dela estranhou. Perguntou com um misto de alegria e incredulidade:
- Mamã, vais dormir comigo?

E eu disse:
- Sim, filhota, mas a mamã só fica aqui se tu não ficares com a chucha, se quiseres a chucha a mamã vai embora e ficas sozinha no quarto.

E sem hesitar meio segundo ela disse:
 - Quero a chucha, mamã.

10 comentários:

  1. Na quinta pedagógica dos Olivais, há uma árvore das chupetas, poderá ser uma solução.
    Para além do passeio à quinta a chupeta pode ficar por lá.

    Fica a sugestão. *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. por acaso já pensei nisso. Acho que vou ver se funciona. Creio que vou tentar tudo. Se houvesse uma árvore das chuchas em Marte, eu mandava-me para lá:)

      Eliminar
  2. Gajas decididas... são tramadas. À minha arranquei-lhe uma promessa num momento de extrema fraqueza, em que ia ser menina das alianças de uma prima e ia vestir uma coisa cheia de pétalas de rosa falsas, assim do mais foleiro e apetecível que há para esta gente. Tinha ... eeeerrrr.... quatro anos. Pronto, lá se vai a minha imagem de estratega. Mas é que antes nada tinha tido o peso necessário para conseguir um compromisso... Eu tentei... No dia do casamento foi com o pai ao caixote do lixo com a solenidade que o momento impunha (e eu guardei duas ou três chuchinhas, por precaução).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo: queremos que eleas sejam decididas e depois afinal, são decididas demais. Correu bem depois do casamento? ou as chuchas guardadas tiveram de entrar em ação?

      Eliminar
    2. Ui... o resto da história só mostra como a mãe não tinha dado o devido valor ao carácter da filha. O casamento foi uma maravilha, pétalas por todo lado a gingar, e nunca mais se ouviu falar em tal coisa - atenção, nunca mais se ouviu a senhora pedir ou desejar em voz alta tal coisa, já a história de como tinha decidido e prometido e cumprido e lálálá foi repetido a todos os que a quiseram (e aos outros também) ouvir.

      Eliminar
  3. Vais encontrar uma maneira. cada criança é única. Funcionará se a explicação, (ou o que for), fizer sentido para a tua filha. E tu conhece-la melhor que ninguém.

    ResponderEliminar
  4. ainda não encontrei a formula secreta, mas também não baixei os braços:)

    beijinhos

    ResponderEliminar